Páginas

CISNE NEGRO

É tempo do mundo do cinema girar ao redor da noite do Oscar!!! : CISNE NEGRO.



Não sei se foi bom ou ruim ter iniciado logo por um filme que simplesmente ADOREI!!!! 

Será que algum dos outros conseguirá ultrapassá-lo? Não acho que leve o prêmio por filme, mas, com certeza, Natalie Portman merece ganhar como atriz, como aconteceu no Globo de Ouro e no SAG. Sem dúvida, o filme é TODO dela! Os coadjuvantes são importantíssimos na história mas ela aparece praticamente em todas as cenas do filme! Que nível fabuloso de trabalho corporal e de atuação ela alcançou! O olhar dela muda conforme sua personagem vai seguindo seu (des)caminho para a perfeição como bailarina através do papel principal duplo do balé "O Lago dos Cisnes": Odette e Odile, que no filme são apenas identificadas como Cisne Branco e Cisne Negro, respectivamente.

SÓ QUERO SER PERFEITA

Falar sobre a história do filme sem fornecer "spoilers" não é fácil mas adapto abaixo a sinopse fornecida no site oficial do filme:

"CISNE NEGRO acompanha a história de Nina (Natalie Portman), bailarina em uma companhia de balé da cidade de Nova York cuja vida, como a de todos em sua profissão, é completamente consumida pela dança. Ela mora com a mãe, bailariana aposentada (Barbara Hershey), que apóia de forma zelosa a ambição profissional da filha. Quando o diretor artístico da companhia (Vincent Cassel) decide substituir a primeira bailarina (Winona Ryder) para a produção de abertura da nova temporada, uma adaptação sua para "O Lago dos Cisnes", Nina é a escolhida. Porém, terá como concorrente uma nova bailarina, Lily (Mila Kunis). O Lago dos Cisnes exige uma bailarina que possa interpretar o Cisne Branco com inocência e graça, papel ao qual Nina se adequa perfeitamente, e o Cisne Negro, que representa perfídia e sensualidade, papel este difícil para Nina mas personificado com perfeição por Lily. À medida que a história se desenvolve, as duas jovens bailarinas passam por transformações em seu relacionamento e Nina começa a ter mais contato com seu lado sombrio, contato este que pode destruí-la."

Somos bons e somos maus: na treva do nosso inconsciente cochila o que nem sonhamos poder ser - algo destrutivo, perverso, mau. (Lya Luft - Múltipla Escolha - pag 149 - Editora Record - 2ª ed - 2010)

Carl Gustav Jung ia gostar deste filme!!! Afinal foi ele quem definiu melhor a sombra que todos temos e o Cisne Negro representa muito bem esta parte da personalidade tanto do Cisne Branco quanto da própria Nina. E a dificulade de Nina em representar/incorporar esta personagem está exatamente em seu não reconhecimento de sua própria sombra, seu lado mais sombrio. 

Nas palavras de Jung:
Todo mundo carrega uma sombra, e quanto menos ela está incorporada na vida consciente do indivíduo, mais negra e densa ela é. Se uma inferioridade é consciente, sempre se tem uma oportunidade de corrigi-la. Além do mais, ela está constantemente em contato com outros interesses, de modo que está continuamente sujeita a modificações. Porém, se é reprimida e isolada da CONSCIÊNCIA, jamais é corrigida, e pode irromper subitamente em um momento de inconsciência. De qualquer modo, forma um obstáculo inconsciente, impedindo nossos mais bem-intencionado propósitos (CW 11, parág. 131).

Vemos no filme como sua mãe a trata ainda como uma "doce menina" mesmo ela já estando com 28 anos. E esta mãe é muito bem interpretada pela Barbara Hershey, que em meu entender, mereceria muito mais qualquer reconhecimento/indicação como coadjuvante do que a Mila Kunis. Lógico que o papel de Lily é importante neste descobrimento do lado mais escuro da personalidade de Nina e Mila tem uma boa atuação. Mas a mãe é algo impregnado na vida de Nina de uma maneira não muito saudável e ao assistir ao desenrolar da história vamos conhecendo mais deste relacionamento e como ele ajuda a determinar a fragmentação da personalidade desta filha. 
Não podemos colocar filhos, filhas, netos, netas sempre embaixo de nossa asa protetora. Não os podemos guardar em casa. Não há como erguer uma cerca, nem metafórica, de amor e cuidados onipotentes. Não podemos - nem devemos - tentar impedir que vivam, cresçam, saiam pelo mundo, batalhem suas batalhas, construam suas famílias. É bom que façam isso: assim se expande a vida e se multiplicam os afetos que vão iluminar esse nosso lado da sombra. (Lya Luft - Múltipla Escolha - pp 146-147 - Editora Record - 2ª ed - 2010)
  

Lendo mais sobre o filme no site oficial depois de já ter visto o filme, descobri cuidados importantes da produção nos cenários e cores relacionados às mudanças em Nina que ocorrem conforme os ensaios do balé se sucedem e a noite de estreia do espetáculo se aproxima. 

O filme é descrito como um suspense psicológico e realmente há algumas cenas que levam o espectador a pular na poltrona de susto mas são cenas importantes que descrevem bem os degraus (para baixo ou para cima?) percorridos por Nina na busca da perfeição.

"A ÚNICA PESSOA NO SEU CAMINHO É VOCÊ PRÓPRIA"

A direção, a edição, a trilha sonora, enfim, tudo está muito bem conectado para fazer deste filme uma experiência sensacional. Acho que mesmo aqueles sem muito conhecimento sobre balé vão gostar do filme pois o diretor Darren Aronofsky fez uma ótima escolha do balé como cenário para esta história sobre a pressão de alcançar a perfeição. Aronofsky, cuja irmã é bailarina, começou a pensar sobre esta história há quinze anos e nas palavras de um dos roteiristas, Andrés Heinz:

"Darren e eu havíamos conversado ao longo dos anos sobre fazer um suspense sobre balé. O que fiz foi pegar os tratamentos iniciais do roteiro (que se passava na Broadway) e adaptar o enredo de "O Lago dos Cisnes" diretamente para o centro da história. Isso mudou tudo e se tornou o ponto de partida para uma história nova-ioquina moderna sobre dualidade, e o medo de algo ou alguém assumir sua vida".


Segundo o também roteirista Mark Heyman, foi muito difícil classificar o filme em um gênero. "Era a história de um mergulho no horror biológico de uma mulher que se transforma em um cisne demoníaco, ou um retrato fascinante de uma artista motivada que perde o juízo sob extrema pressão? Heyman espera que a resposta seja as duas coisas ao mesmo tempo."


Recomendo uma visita ao site oficial em português que tem várias infomações interessantes. Lá é possível assistir o trailer mas, infelizmente como tem acontecido nos últimos tempos, ele antecipa várias cenas de impacto que deveriam ser vistas somente no filme. Este vídeo aqui de como foram feitos alguns efeitos visuais inclui "spoilers" e vale a pena ser visto após o filme.

Ficha Técnica:
título original: Black Swan
gênero: Suspense
duração: 1h43 min
ano de lançamento: 2010
site oficial: http://www.cisnenegrofilme.com.br/
estúdio: Protozoa Pictures / Phoenix Pictures / Cross Creek Pictures / Fox Searchlight Pictures
distribuidora: 20th Century Fox Film Corporation
direção: Darren Aronofsky
roteiro: Andres Heinz e Mark Heyman, baseado em história de Andres Heinz
produção: Scott Franklin, Mike Medavoy, Arnold Messer e Brian Oliver
música: Clint Mansell
fotografia: Matthew Libatique
direção de arte: David Stein
figurino: Amy Westcott
edição: Andrew Weisblum
efeitos especiais:Matt Kushner (coordenador de efeitos visuais) 


Premiações:
OSCAR
Indicações:
Melhor Filme
Melhor Diretor - Darren Aronofsky
Melhor Atriz - Natalie Portman
Melhor Fotografia
Melhor Edição

GLOBO DE OURO
Ganhou:
Melhor Atriz - Drama - Natalie Portman
Indicações:
Melhor Filme - Drama
Melhor Diretor - Darren Aronofsky
Melhor Atriz Coadjuvante - Mila Kunis

SAG - Screen Actors Guild
Ganhou:
Melhor Atriz - Natalie Portman

BAFTA
Indicações:
Melhor Filme
Melhor Diretor - Darren Aronofsky
Melhor Atriz - Natalie Portman
Melhor Atriz Coadjuvante - Barbara Hershey
Melhor Fotografia
Melhor Figurino
Melhor Maquiagem
Melhor Edição
Melhor Desenho de Produção
Melhor Roteiro Original
Melhor Som

INDEPENDENT SPIRIT AWARDS
Indicações:
Melhor Filme
Melhor Diretor - Darren Aronofsky
Melhor Atriz - Natalie Portman
Melhor Fotografia

  • Digg
  • Del.icio.us
  • StumbleUpon
  • Reddit
  • RSS

0 comentários:

Postar um comentário